quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Preocupações...

Oi pessoas lindas!!

Que bom que a maioria gosta dos meus pratos.
Não faço comidas elaboradas. 
É tudo muito simples, mas quando colocamos amor (não tô falando do tempero Sazon, rsrs) no que fazemos, tudo fica muito mais gostoso.
E ontem ainda tinha um pedaço da couve flor, que "ÓBEVEO" (Saudades da Marília...) eu comi!
E mais "óbeveo" que tive uma noite daquelas... pança inchou tanto, que juro, parecia barriga de uns 5 meses! Misericórdia! Ainda tá meio inchada... gazes maledetos!
Por isso... Adiós couve flor!
Posso até fazer outras vezes, meu filho adora, mas prefiro passar sem a passar mal.
O tanto que comi deu pra matar toda a vontade!

Os legumes da ratatouille viraram recheio de uma torta que ficou muito boa.
Receita da massa:
4 ovos, 2 xícaras de leite (usei semi desnatado), 1/2 xícara de óleo (usei um pouco menos), 1 tablete de caldo de qualquer sabor, 1 xícara de farinha de trigo (pode ser integral) e 1 xícara de fubá. Bate tudo no líquidificador com 1 colher de fermento em pó.
Untei uma forma com óleo e fubá, coloquei metade da massa, os legumes com uma linguiça calabresa fervida e picadinha, cobri com o restante da massa, forno 40 minutos e pronto.

Cozinha não tem segredo. É só soltar a imaginação.
Tem quem não goste, abomine, ache chato ou difícil, mas acho tão bacana preparar comidinhas pros meus queridos.
Ontem fiz a proteína de soja novamente pro meu atleta.
Filhote malha todos os dias, levanta peso, cuida do corpo, da saúde, estuda muito, me enche de orgulho.
E agora tá numa vibe natureba. Não quer saber de porcarias, tá procurando fonte de proteínas alternativas (sem carnes) e pensem numa mãe feliz???
Não tenho pretensão que tornem-se vegetarianos (ou ovolacto), mas gosto de vê-los comendo melhor, com qualidade.

Mas o post de hoje não é pra falar dele, nem de mim.
Tô preocupada com essa moça aqui:
(PS: Vcs sabem que eu detesto colocar fotos nossas e já expliquei pq, mas é só pra mostrar o motivo da preocupação, ok?)

Olhando assim, ela não parece tão gordinha. Ou talvez sejam os olhos de mãe... sei lá.

Nessa dá pra ver melhor???

Pois é...

Ontem, ao passar na sogra pra pegar filhota... sogra já veio logo falando:
Olha, Ana tá muito gorda. 
Elas foram numa farmácia e se pesaram e pasmem: Ana tá com 46 kilos.
Dai falou pra não dar mais nada pra ela comer em casa, pq ela janta na vó quase todos os dias e se comesse mais em casa seria exagero e blá blá blá...

Filhote estava lá e voltamos os 3 pra casa a pé. Dá uns 15 minutos de caminhada.
Ele ficou falando, falando, orientando como ela deveria fazer pra não engordar e percebi que isso a irritou.
Num determinado momento ela soltou: Cala a boca que esse papo tá me enchendo!
Dei um toque pro filho parar de falar, mas as vezes ela mesma falava que precisava comer menos...

Em casa, não tomou nem um copo de água!

Lembram dos chocolates que estavam na minha gaveta ontem?
Levei pra casa pra dar um pra cada e ela não comeu.

Tentei oferecer um suco de abacaxi com gengibre, mas ela não quis...

Não temo que ela desenvolva nenhum distúrbio alimentar, tipo anorexia ou bulimia. Ela gosta muito de comer pra isso. 
Tenho medo é justamente do contrário. Que com esses comentários e pegação no pé, ela passe a comer compulsivamente, entendem??
Meu coraçãozinho fica apertado... quero tanto ajudá-la, mas não sei como.
Faço o que posso (tá, as vezes eu dou doces e faço brigadeiros...mas a partir de ontem, parei), ofereço alimentos saudáveis em casa, só que ela gosta de comer. Ela gosta de quantidades.
Dá um prato de arroz e feijão que ela come com gosto!
Antes era bonitinho, todos falavam: Dá até gosto ver a Ana comendo...
Só que, e agora José??

Sinceramente, tô preocupada!
Me apego ainda à fase do estirão. Sei que ainda vai crescer e com isso emagrecer, mas ainda assim, me preocupo.
Vcs sabem como as crianças são cruéis na escola... e tenho muito medo que fiquem zoando com ela.
Por enquanto, tudo tranquilo... exceto pelo fato ocorrido tempos atrás, na van escolar, onde um menino (também gordo) ficou chamando ela de baleia. O primo dela, que ia junto, deu um soco no nariz do moleque, disse que ele era gordo também e tudo se resolveu.
Só que ela não terá pra sempre quem a defenda né? E nem quero que saiam batendo em ninguém por isso, rsrs.

Ai que difícil viu...

Ela é toda vaidosa e percebo que fica incomodada muitas vezes quando uma roupa aperta, ou quando fica mais cansada quando andamos (principalmente ladeiras).
Ela sabe que precisa maneirar no bocão, mas não gosta de cobranças...

Ai que difícil!!!!!!!!!!!

Bem, vou tentar elaborar aqui alguns truques e já implorei pra sogra, coloque menos comida no prato dela, ofereça menos pães, bolos, mas sabe como é... vó é vó! 

Bem garotas, me desejem sorte. Vou precisar.

Beijos nossos,




4 comentários:

Cary disse...

Oi amiga querida... Eu te entendo e entendo sua menina!!
Desde pequena fui privada de tudo pelo fato de ser portadora de diabetes desde meus 10 anos... Com isso me revoltei com a vida, a cobrança era muita e o que eu comecei a fazer?? Comer escondido, e doces!!
Nunca tive conciencia de que estava fazendo errado, sabe como é adolescente né?? Comia mesmo, até que comecei a engordar muito e muito... Aí vieram mais cobranças e nomes, baleia..gorda.. etc..
Enfim, no que tudo isso se resumiu?? COMPULSÃO ALIMENTAR, disturbios alimentares, laxantes, diuréticos e assim vai...
Amiga, sei que é dificil, meus pais naquela época, sem condições financeiras e também psicológicas não sabiam o que fazer, mas hoje existem recursos desde cedo!
O que acha de levá-la nun psicólogo? Não precisa dizer o porque, diz apenas pra ter uma conversa, um acompanhamento... Sofro muito até hoje por não ter podido ter um acompanhamento quando criança, tenho certeza que seria diferente hoje em dia, mas não culpo meus pais de forma alguma... Imagina só, eu fui a primeira criança a ter diabetes na minha cidade, os médicos mal sabiam o que fazer, imagina meus pais coitados!!
Mas é isso amiga, sei que não é fácil, mas vc vai achar uma solução que seja melhor sem magoar sua filhotinha!
Um beijo grande, tenha um bom dia!

Elis disse...

Oi minha linda,

vc está em apuros...digo você, porque sei que você é a grande chave mestra para tudo mudar. Eu trabalho com a infância, e sei que os habitos alimentares são culturais. Ou seja, ela vai comer aquilo que lhe é oferecido em casa. Então minha amiga, não tem jeito, você tem que se virar nos trinta para oferecer alimentação saudável e obviamente ser saudável, afinal os exemplos educam muito.

abraços

Carla Renata (A Teimosa) disse...

lindeza.. converse muito com ela.. esse risco da compulsão é sério.. muito sério.. eu ke o diga!!! Então.. refaça os cardápios de casa, aproveita ke o filho ta nessa fase "natureba" e faça a familia toda entrar na dança..rs.. bjokas lindeza

Anônimo disse...

Oi Andréa, gostei muito do primeiro comentário, tb concordo sobre procurar uma orientação profissional, com certeza ela vai ter a fase do "estirão" esticar na pré adolescência. Mas é bom procurar ajuda médica. Pelo que te acompanho todos esses anos, o problema não é a "qualidade" da comida e sim a "quantidade". A Aninha adora comer, todas nós rsrsrs. Mas faz isso pro teu coração de mãe se acalmar, procura um psicologo, vai dar certo. Tenho a minha da mesma idade e sei o quanto são vaidosas. Beijos Dill

Progresso

NeoCounter