quinta-feira, 29 de outubro de 2009

"Saudade"


Bem, o post de hoje é pra falar de alguém que não está mais entre nós e dia 01, faz 2 anos que partiu.

Essa pessoinha chamava Giuliana.


Acompanhei a gestação da sua mãe (fui a primeira a saber que ela viria) e desde então fui presença constante na sua vida.

A princípio ela seria só minha prima.

O pai dela é meu tio. E esse tio é casado com minha cunhada, irmã do meu marido.


Já namorava meu marido quando a mãe dela (até então, só minha tia – mulher do tio - que depois virou cunhada) engravidou.


Em 1990 nasceu a Giuliana. Dia 21 de setembro, uma semana depois do meu níver.


Simpatizei com aquela coisinha loira e branquela desde então. Aos poucos me apaixonei.

Eu já trabalhava e sempre comprava presentinhos pra ela.

Ela era bem grudada em mim, vivia no meu colo.

Ela virou prima e sobrinha, pq casei com o tio dela (irmão da mãe dela que foi casada com meu tio). Nossos sobrenomes são invertidos.


Em 1996, engravidei do Daniel e a Giu ficou muito enciumada.

Quando ele nasceu ela me chamava de boba, pq eu ficava sorrindo pra ele. Puro ciúmes.

Explicava pra ela que quando ela era bebê, eu a tratava igual e aos poucos ela foi gostando do primo.

Tanto que quando o Dan cresceu um pouco, eram um grude só.

Brigavam muito, mas viviam juntos sempre que dava.


Vi a Giuliana crescer. Ela foi pra escola... fui à todas as festinhas.

Acompanhei a entrada na adolescência. A separação dos pais dela. A ví perdida por alguns instantes e a ajudei muito nessa época. Graças à Deus passou e ela saiu disso mais forte.

Vi seu interesse nos meninos, rsrs. E assim, ela foi crescendo.

Ela me adorava. Eu a adorava.

Qualquer pessoa pra quem ela me apresentava, ela falava assim: Essa é minha prima, tia e madrinha! E tinha o maior orgulho disso!

Sim, meu marido e eu batizamos a Giu. Ela era minha prima, minha sobrinha e minha afilhada. A única.

Sempre e desde sempre, quando nos encontrávamos, ela corria e me abraçava.

Já na fase quase adulta, ela dava duas de mim, rsrs.

Era uma criança grande na verdade.

Quantas vezes eu chegava pra pegar minha filha na sogra e a Ana, minha filha, estava toda “emperequetada”. E nem precisava perguntar quem tinha feito aquilo. A Giuliana, claro.

Ela pintava a Ana, passava batom, penteava, passava perfume.

Ela adorava a Ana. A tratava como eu a tratava quando criança.

Aliás, nunca conheci uma menina tão vaidosa e tão cheirosa quanto essa minha sobrinha.

Lembro do seu perfume...

Todos os dias a tarde, ela me ligava aqui na empresa e falava assim (berrando né) OI TIA LINDA DO MEU CORAÇÃO!!! Ou então, pela manhã: BOM DIA FLOR DO DIA!!!!!!!

Que saudade disso viu... as vezes eu reclamava...

Vivemos bons momentos juntas...


A dois anos, nesta data, a vi pela última vez viva.

Lembro como se fosse hoje...

Estava indo pra minha casa, a noite depois do serviço e ela estava no portão de uma amiguinha.

Paramos o carro e marido ainda brincou com ela. Ele adorava provocá-la, só pra ver ela fazer careta, ou mostrar o dedo do meio, rsrs.

Ele ainda falou assim: vê direito vcs duas (ela e a amiga iam pra academia).

Ela jogou um beijo, jogamos outro e falamos tchau. O último...

Dia 30 de outubro de 2007, à tarde, veio a notícia do acidente.

Ela estava na garupa da moto do namorado.

Um carro entrou na frente, ele freou a moto e ela voou por cima dele, caindo na calçada. Bateu a cabeça com violência no meio fio e o capacete não aliviou muito o tamanho da pancada.

Foi levada pelo resgate ao hospital, já em coma induzido...

Começava aí a nossa agonia.


Quando a vi na maca, indo fazer tomografia... percebi que somente um milagre a faria voltar.

Infelizmente o milagre não aconteceu e na madrugada do dia 01 de novembro ela nos deixou.

Deixou uma enorme saudade que até hoje ainda dói.

Impossível não lembrar dela todos os dias.

Passo 3 vezes por dia no local do acidente...

Mas não apenas por isso.

Minha filha lembra demais ela.

Os mesmo jeitos, o mesmo modo de espirrar, o jeitão estabanado, o mesmo jeito de falar gritando.

E as caretas?

As vezes me arrepio quando a Ana faz coisas igualzinho as que ela fazia.


A dor que a perda dela causou em tanta gente, foi algo impressionante.

Sempre entro em sua página no Orkut e sempre tem recados dos amigos dela. A saudade que todos sentem é absurda.

Meus filhos até hoje lembram dela com muito carinho.

A única vez que vi o Daniel chorar sentido, foi no dia da sua partida.

Ele sentou no sofá e chorou muito.

Eram grandes amigos...


Hoje resolvi externar essa saudade.

Ainda choro sim, pq ela faz falta.

Uma pessoa tão querida, tão amada, tão especial...

Giu, Agradeço à Deus por ter nos concedido o prazer e privilégio de ter sua presença nas nossas vidas por 17 anos.

Enquanto aqui esteve, nos agradou, nos fez rir, foi uma benção. Um grande presente.

Que agora estejas novamente ao lado Dele.


Deixo essa música.

Sempre que ouço, lembro de ti.

Gostava Tanto de Você

Tim Maia

Composição: Édson Trindade

Não sei porque você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristezas vou viver
E aquele adeus não pude dar...

Você marcou na minha vida
Viveu, morreu
Na minha história
Chego a ter medo do futuro
E da solidão
Que em minha porta bate...

E eu!
Gostava tanto de você
Gostava tanto de você...

Eu corro, fujo desta sombra
Em sonho vejo este passado
E na parede do meu quarto
Ainda está o seu retrato
Não quero ver prá não lembrar
Pensei até em me mudar
Lugar qualquer que não exista
O pensamento em você...

E eu!
Gostava tanto de você
Gostava tanto de você...

Não sei porque você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristezas vou viver
E aquele adeus não pude dar...

Você marcou em minha vida
Viveu, morreu
Na minha história
Chego a ter medo do futuro
E da solidão
Que em minha porta bate...

E eu!
Gostava tanto de você
Gostava tanto de você...

Eu corro, fujo desta sombra
Em sonho vejo este passado
E na parede do meu quarto
Ainda está o seu retrato
Não quero ver prá não lembrar
Pensei até em me mudar
Lugar qualquer que não exista
O pensamento em você...

E eu!
Gostava tanto de você
Gostava tanto de você...

Eu gostava tanto de você!
Eu gostava tanto de você!
Eu gostava tanto de você!
Eu gostava tanto de você!




4 comentários:

Are disse...

Oi flor... complicado né??? É foda, mas tenha certeza de que ela está num lugar bem melhor que nós!!!

Beijos e se cuida!! Amo vc mocréia rssr.

Gezinha disse...

Esse sentimento acho que é o mais complicado da gente administrar...
Força, ela certamente tá muito melhor que a gente.
Força e Fé na luta.
Abraços
Gezinha

Gisele disse...

È duro perder quem se ama e pior é a saudade de quem fica, perdi um amigo de uma forma triste e ainda nãos ei lhe dar com essa perda!

bjs!

Francislene disse...

oi linda...que dificíl né?? não dá pra explicar tanta dor...e saudade é assim dói muito mesmo!!!
froça lindona e lembra do perfume dela e sorri.....
bjus

Progresso

NeoCounter