quarta-feira, 24 de junho de 2009

Penso assim e pronto!



Oi!!
Como disse ontem, não entendo e não aceito a morte.
Não aceito a perda de pessoas queridas.

Quanto à minha morte, não ligo. Não tenho medo pq sei que um dia vou morrer mesmo.

A notícia da morte da Gra me fez rever velhos conceitos e me abriu os olhos pra pequenas coisas que não dava muita importância.

Exemplos:

Antes, eu fazia loucuras pra emagrecer. Já faz um tempo que não faço mais isso e agora, nem pensar!
Antes eu não tinha muito tempo pras pessoas que amo. Meu tempo sempre foi curto e sempre reclamei muito disso.
Ontem, fiquei até bem tarde acordada com minha filha.
Senti vontade. Tive medo de meu tempo aqui acabar e eu não ter outra oportunidade.

Sabem, não tenho medo de morrer. Tenho medo da dor que minha falta vai causar nos meus amores. Fico apavorada com isso. Me dá calafrios.

Perdi meu pai aos 27 anos e minha mãe aos 30.
Sofri muito. Principalmente com a morte do meu pai, que foi derepente.
Não aceitei e por anos chorei muito ao lembrar que podia ter sido diferente. Ele era muito jovem, tinha 52 anos.
A morte da mãe foi dolorida, no entanto menos sofrida. Já sabíamos que ela partiria. Estava doente. Muito jovem também, com 52 anos.
Sofri, mas já era adulta, casada, mãe e isso ajudou bastante a superar tudo. Mesmo assim, não posso dizer que aceitei essas perdas.

Meu medo é de partir antes que meus filhos possam entender e quem sabe aceitar a minha morte.
Sempre falo e muitos ficam pasmos comigo: eu não quero viver muito. Quero viver o suficiente pra ver meus filhos crescerem. Só isso.
Eu até digo que se chegar à idade que meus pais tinham, 52, tá bom. O que vier depois é lucro.

Não quero ficar velha.

Acho muito bonitinho aquelas histórias que passam na tv, que vemos em livros e tal, mas sei que idoso sofre muito. E isso eu não quero.

Pode parecer egoísmo, mas é assim que eu penso.

A partir de ontem, estou me dedicando mais às coisas que gosto, aos meus amores e quero viver intensamente cada dia, porque se o amanhã não chegar...


Beijos.

No próximo post eu conto como anda minha RA.

6 comentários:

Aretha disse...

Oi flor!!
Eu ao contrário de vc tenho medo da morte, me dá calafrios e chego a chorar pensando nessa possibilidade, sei que um dia todo nós vamos, mas não aceito, tenho medo de deixar os meninos aqui, medo doque pode acontecer com eles na minha ausência, é assustador.
Como te falei mal dormi essa madrugada, fiquei pensando e pensando.. vou me cuidar mais e parar de fazer loucuras pra emagrecer (sabe do que estou falando).. e dar mais valor as pessoas que eu amo, passar mais tempo também com meus filhos e pessoas queridas, tirar um dia e ir te visitar (quem manda morar longe de mim hehe).
É isso nega, tbem não aceito até hj a morte dos nossos pais, ainda sofro muito com isso, tento aceitar, mais é muito difícil!!
Mas assim, a vida continua e agora que somos mães temos que pensar nos nossos filhotes que precisam da gente saudáveisss!!!
Força ai nega, vc é uma vencedora e minha MUSA INSPIRADORAAA E EU TE AMO MUITO VIU MOCINHA hehe!!
Beijossssssssssssssss

Musa disse...

Andrea, a decisão mais importante é tirar tempo para os seus, tenho feito isso e me sinto muito bem, não ligo se deixo de ir a lugare, se perco um programa na TV, se o Gabriel ou mamãe estão por perto tiro o máximo proveito disso.

beijinhos e força sempre

Dani disse...

Oi querida, só hoje tive coragem de voltar na casinha da Gra... E vi seu comentário lá... Achei muito bonito o que escreveu... Assim como vc, a Gra fez parte da minha vida... Sempre conversávamos e ela esava presente na minha vida de blogueira light desde que comecei... Foi uma das primeiras pessoas que conheci aqui. Enfim, entendo a morte, mas infelizmente não aceito... Doeu quando soube dela. E ainda está doendo...
Mas precisamos tocar a vida, né?Continuaremos na nossa luta, tentando emagrecer para ter saude... Acho que o que aconteceu com a Gra nos fez repensar muitas coisas... E nos uniu mais ainda aqui na blogosfera light...
Vou te adicionar, tá? Ainda não conhecia seu blog...
Beijinhos

Francislene disse...

Oi linda! sei bem o que vc disse tbm perdi meu pai derepente as 53 anos e sofro até hoje por falta dele....eramos muito ligados sinto principalmente por ele não ter conhecido meus filhos...e não ter me levado ao altar...sabe essas coisas de filha que ama o pai...o meu é ainda hoje muito especial e um exemplo pra mim...em tudo...mas estou como vc, quero aproveitar os meus queridos o máximo...meu esposo ontem me disse: "Nega não vai morrer e me deixar hein? viu sua amiga? tão nova.. pare com essa neura de emagrecer...tenha calma...muita calma EU AMO VOCÊ!!"...então vou asssim devagar e sempre amiga vamos conseguir!!!

Flavinha disse...

oi 1° vez por aqui..vim conhecer seu cantinho, parabens!!
tbem fiquei impressionada com a morte da Gra ..realmente nos faz refletir sobre muitas coisas!!!
e dificil entender a morte!!

bjs e tenha um otimo fds

disse...

É Andr;eia, sempre é tempo de refletir sobre o que estamos fazendo com nosso presente, pois o futuro pode ser apenas o minuto seguinte. Curta muito suas paixões.
Bjs.

Progresso

NeoCounter